Logística que move o país. Qual a real necessidade deste segmento para a Indústria?

8 de novembro de 2018

Entenda a importância da logística por meio de uma abordagem histórica do segmento, panorama e desafios.

Engana-se quem pensa que logística se trata do mero transporte de coisas de um canto para o outro. Na prática, vai muito mais além. Por meio desse segmento, matérias-primas, alimentos e todo o tipo de suprimento é armazenado, administrado e, por fim, transportado.

Nenhuma operação funciona sem a logística, é por meio dela que os materiais seguem o fluxo esperado, do ponto de origem ao ponto de consumo, evitando falta de abastecimento e perdas por excesso de estoque, por exemplo.

Para uma logística em pleno funcionamento, alguns cuidados são necessários, como alugar ou comprar geradores de energia que garantem a eficiência energética do setor. Vamos falar um pouco mais sobre isso.

Breve definição

A origem etimológica da palavra é controversa, como pontua o livro “Logística: Conceitos e Tendências” escrito por Benjamim Moura. Na página 51 do capítulo história e pensamentos logísticos, o autor cita o Dicionário Etimológico da Língua Portuguesa para falar sobre isso.

A palavra logística, do grego logistiké, traz o significado de “a ciência prática do cálculo”, o que, num primeiro momento não parece fazer muito sentido, apesar de, na prática, o cálculo estar presente no bom andamento do papel da logística.

Mas, para Heskett, a explicação é outra. O autor afirma que o termo vem do francês arcaico, e não do grego como muitos afirmam, loger, cujo significado é acomodar ou alojar. Na dúvida, uma boa ideia seria unir os dois, atribuindo a logística o “acomodar de forma muito bem calculada”.

A logística no Brasil e no mundo

Saindo um pouco da definição do conceito, vamos debruçar os olhos  para o contexto atual. Apesar de existir crescimento, a situação poderia estar muito melhor. Falta de planejamento, falta de investimentos em estradas e em demais modais atrapalha muito o cenário nacional.

Para dar um exemplo real de como a situação está, basta lembrar de uma notícia que abalou o país, em Maio de 2018, quando caminhoneiros dos quatro cantos do Brasil decidiram fazer uma paralisação para reivindicar a diminuição do preço do óleo diesel.

O fato ocasionou um verdadeiro caos, e não estamos falando aqui de protestos violentos ou de grandes acidentes. O ponto é que a paralisação provocou a falta de abastecimento em postos de combustível, supermercados, quitandas e vários outros tipos de comércio.

A greve evidenciou, até para aqueles que sequer tem familiaridade com o universo da logística, o quão dependentes somos do transporte rodoviário. Frutas, botijões de gás e até medicamentos ficaram parados na estrada. E milhões de litros de leite foram descartados.

Desafios do segmento

Números apontam que 63% do total de volume de cargas transportadas anualmente no Brasil são feitas pelo modal rodoviário. Para ter um outro número de referência, na China, por exemplo, mais de 50% do total de cargas é transportada pelo modal aquaviário.

Mas esses não são os únicos desafios, dá uma olhada:

  1. Falta de infraestrutura

A falta de infraestrutura não é, nem de longe, um assunto novo. Os investimentos governamentais pecam nesse aspecto e o segmento de logística é que paga a conta.

Mais da metade do volume total de cargas no país passa pelas estradas, mas as condições precárias de alguns trechos encarece muito o valor dos serviços. Segundo a Confederação Nacional dos Transportes (CNT) seriam necessários R$ 51,5 bilhões para restaurar 83 mil quilômetros de rodovias do país.

  1. Falta de integração entre os modais

Aqui mora o maior gargalo. A falta de recursos limita o uso de modais na logística do Brasil, que hoje depende quase que unicamente do transporte rodoviário. É preciso investir em modais alternativos como o ferroviário, aéreo e o aquaviário para mudar esse cenário.

  1. Custo

A consequência da falta de investimentos e integração dos modais reflete diretamente no Custo Total da Logística (CTL). Para se ter ideia, quando falamos do transporte mais utilizado hoje, o rodoviário, os valores bases sobem cerca de 12% ao ano e custam 12,7% do PIB.

Tarifação de frete no Brasil

Um outro grande desafio da logística no país, e que tem sido amplamente debatido por profissionais e empresários do setor, diz respeito ao preço do frete no Brasil.

O assunto é polêmico, pois o preço exorbitante praticado no país influencia diretamente em todos os segmentos industriais, sendo inclusive um obstáculo contra a competitividade do comércio nacional diante de outros países do mundo.

Como 63% do total de volume de cargas do Brasil são feitas pelo modal rodoviário, custos com manutenção de caminhões, que sofrem com a precariedade das estradas, refletem no valor do frete, especialmente em um país cujo território é tão extenso.

Para tentar sanar o problema, a Agência Nacional de Transportes Terrestres – ANTT definiu este ano a tabela de preços mínimos dos fretes, cujo “caráter é obrigatório para todo mercado de fretes do país” que foi, inclusive uma reivindicação da greve dos caminhoneiros.

Importância da eficiência energética na logística

Se a logística transporta e armazena suprimentos, não há como falar sobre isso sem mencionar a importância também da eficiência energética. E assim como em diversos setores, energia contínua e redução de custos levam empresas a alugarem ou comprarem um gerador.

Além disso, vivemos um momento em que o mercado no geral tem investido em tecnologias como automação industrial, machine learning e inteligência artificial, tudo em prol de otimizar o trabalho e, também, reduzir custos, seja com retrabalho ou mão de obra.

A consequência dessa revolução, chamada de indústria 4.0, onde a tecnologia é predominante na linha de produção, é o aumento da demanda energética. Para prevenir o absenteísmo existem ações específicas, certo? Comprar gerador de energia previne o absenteísmo das máquinas.

Por que comprar um gerador é importante

Se existem tantos fatores que encarecem o segmento de logística no país, empresas que investem em ações que possibilitem o barateamento dos serviços e, consequentemente, o aumento de margem, saem na frente.

Depender unicamente da energia elétrica fornecida pela concessionária pode ser arriscado. Afinal, além do preço ser alto e aumentar constantemente, recentemente o aumento foi de mais de 12%, a interrupção pode gerar consequências graves no faturamento de empresas.

Gostou do conteúdo? Como vimos, o segmento de logística impacta diretamente no bom andamento da indústria e da vida de milhares de pessoas todos os dias. Dentre os desafios enfrentados por empresários do setor está o alto custo para se manter em funcionamento.

Tem interesse em alugar um equipamento?

Entre em contato com nosso time de vendas ou a equipe técnica para saber mais. Somos especialistas na locação de equipamentos para eventos e obras em geral.

Há mais de 28 anos A Geradora atua na locação de equipamentos com foco nos segmentos de Infraestrutura, Construção Civil, Indústria, Eventos, Óleo&Gás, Mineração, Usinas Termelétricas e Comércio&Serviços.